Blog: Linux

Como instalar o exFAT-utils no Fedora 20/19/18/17, no Mageia 4 e no Arch Linux

Estes dias precisei de fazer umas operações em volumes exFAT ( no meu celular, pois há um bug no kitkat na leitura de cartões no formato FAT ) e notei que meu sistema operacional não montava nem ao menos formatava neste tipo de sistema de arquivos. 

Procurando pela internet acabei chegando a um tutorial que fala como instalar este tipo de volume em 3 sistemas operacionais ( Fedora, Mageia e o maravilhoso Arch Linux ). 

Portanto, segue abaixo como fazer esta instalação nestes sistemas operacionais : 

 


kGraft foi proposto para ser incluído na branch Linux-Next do kernel do Linux

Parece que estamos caminhando para um modelo oficial de aplicar patches on line no kernel. E o Kgraft que é o modelo proposto pelos desenvolvedores do SuSE está sendo proposto para a branche linux-next, ou seja, o que será inserido nas próximas versões do kernel. Eles saem um pouco na frente dos outros desenvolvedores que ainda não tiveram esta coragem. 


Novidades no NetworkManager e Fedora 21 já está sendo congelado para mudanças

O Networkmanager 0.9.10 foi lançado foi lançado e tem umas coisas muito legais.

A primeira é que finalmente ele traz o utilitário desenvolvido em Curses ( nmtui ) , melhorias no nmcli , melhorias no suporte a dispositivos, Data Center Bridging ( em breve falo um pouco sobre o que é esta funcionalidade ) , e inúmeras outras melhorias.


Agora é oficial, o DNF irá substituir o Yum no Fedora 22

É, parece que o Yum está realmente com os dias contados. O Comitê de Engenharia do Fedora tem estudado muito e ao que parece, já há uma possível data para que isto aconteça que é no primeiro semestre de 2015.

O processo já está planejado para a Fesco do Fedora 22 ( não o Fedora 21 que estará disponível ainda este ano ) onde a nova geração do Yum, o DNF, estará disponível. Como já falado aqui várias vezes o DNF é construído em cima da biblioteca Hawkey e promete diversas funcionalidades que o Yum não possui.


Discussões sobre o Systemd no Ubuntu server já foram iniciadas

O systemd parece realmente um caminho sem volta para a comunidade Linux. Se é bom ou ruim só veremos com o passar dos anos, mas , eu, pessoalmente, estou vendo isto com um olhar bem cismado. O systemd agora irá também aparecer no Ubuntu que sempre teve o Upstart como padrão. 


DNF será o substituto do Yum no Fedora 22

O Yum parece estar com os dias contados no Fedora, e com isto na maioria das distribuições que se baseiam no Red Hat. Quem irá substituí-lo será o DNF, um gerenciador de pacotes um pouco mais versátil que o Yum. 

O DNF este sob desenvolvimento nos últimos dois anos e era um gerenciador de pacoes experimental que apresenta mais velocidade e versatilidade que o Yum. Ele esteve presente desde o Fedora 18 como um pacote experimental e em 2015, já no Fedora 22 será o padrão na distribuição Fedora. 


O systemd 213 ganha um cliente SNTP

Mais uma pequena coisa para me deixar com mais medo ainda do Systemd. Agora nosso amigo em sua versão 213 vai contar com um cliente de sincronização de tempo, ou seja, também vai fazer o NTP do sistema operacional. 

Este nova funcionalidade do systemd tem a intenção de implementar o daemon systemd-timesynd daemon que implementar um cliente SNTP. Há também um novo daemon para a parte de rede de nome systemd-resolved. 


O Systemd alcança 550 mil linhas de código na sua mania de querer abraçar o mundo

O pessoal do Phoronix publicou hoje uma notícia que na visão deles é bem legal. Eu, ao contrário me assusto muito quando o jeito Unix de ser do Linux anda sendo perdido em detrimento a uma idéia de centralização que ao mesmo tempo que é muito interessante ... se torna cada vez mais problemática. 

O grande trunfo do mundo Unix-Like sempre foi a idéia de especialização. Cada ferramenta faz uma coisa específica, ou seja, cada pecinha de um quebra cabeça faz o todo funcionar. 


Bug que existe a cinco anos no kernel do Linux foi finalmente resolvido

Uma vulnerabilidade que dava ao atacante a possibilidade de corromper a memória do Linux que havia sido introduzido na versão 2.6.31-rc3 do Kernel que foi lançado em 2009 permite que usuários sem privilégios possam causar um crash geral no sistema ou executar códigos maliciosos em sistemas vulneráveis, conforme esta prova de conceito aqui.

A falha reside na função n_tty_write que é a função que controla as pseudo tty do Linux


Páginas