SÉRIE DE DICAS E TUTORIAIS SOBRE COMO ADMINISTRAR SUA MÁQUINA NA DIGITAL OCEAN

O IPv6 chega ao datacenter de Cingapura na Digital Ocean

Como já havia sido prometido pela equipe da Digital Ocean o IPv6 finalmente está sendo ativado em alguns Droplets. E, como também já era esperado este lançamento deveria ser em um datacenter numa área em que o IPv4 já está em franco esgotamento, ou seja, a Ásia. 

Ou seja, quem possui Droplets no Datecenter de Cingapura já pode tranquilamente ativar o IPv6 no seu Droplet. Um grande ganho já que anteriormente éramos forçados a ativar túneis para ter o IPv6 nas nossas VPSs , não sendo o mais indicado já que este tipo de tecnologia oferece uma alta latência e por sua vez poderia gerar lentidão nos acessos neste protocolo. 

O diferencial da Digital Ocean que é ser um provedor com uma fácil implementação de máquinas tendo como público alvo desenvolvedores, startups ( eu estou neste caso, já que esta máquina aqui está na Digital Ocean ) e pequenos negócios. Apareceu em 2012 e em 2014 acredito ser um dos provedores mais utilizados já que o custo de uma máquina com eles é maravilhosamente baixo, com uma qualidade boa no atendimento ( apesar dos problemas que já tive ainda acho uma das melhores opções ) .

A ativação do novo endereçamento IP é escolhida durante a criação da Droplet e ele já sai com o novo endereço IPv6. 

Para quem não sabe o IPv6 tem uma maior espaço de endereços IP e utilizar a pilha dupla com IPv6 e IPv4 já preparará a infra estrutura de todos para uma migração para o novo protocolo quando necessário. Não vou ficar aqui discutindo o protocolo a fundo já que isto será assunto de um hotsite que estou para ativar em breve.

De acordo com Mitch Wainer do Marketing da Digital Ocean a escolha do datacenter da Ásia foi porque o processo de adoção do IPv6 ( mesmo que forçada já que foi o primeiro local onde os endereços Ipv4 terminaram ) está mais adiantado.

Vale a pena testar. Crie uma droplet ou ative o IPv6 em sua Droplet já existente e se prepare para esta nova realidade que no fim, já é uma realidade. 

Instalando a biblioteca uploadprogress do PECL no CentOS

Se o seu Drupal 7 está reclamando que precisa da biblioteca uploadprogress e você está utilizando o sistema operacional CentOS  é só seguir os seguintes passos ( fiz estes passos em uma máquina na Digital Ocean ). 

Se você não tem certeza se tem os pacotes pecl e php-devel instalados , faça a instalação utilizando o comando abaixo ( se eles existirem no sistema simplesmente não serão instalados ): 

# yum install pecl php-devel -y 

O segundo passo é instalar o uploadprogress : 

# pecl install uploadprogress 

Build process completed successfully
Installing '/usr/lib/php/modules/uploadprogress.so'
install ok: channel://pecl.php.net/uploadprogress-1.0.3.1
configuration option "php_ini" is not set to php.ini location
You should add "extension=uploadprogress.so" to php.ini

 

Se após esta série de comando você receber um erro do tipo 

phpize: command not found

Tente novamente a instalação do php-devel pois ele não deve ter sido instalado corretamente.

Para isto faça o seguinte :

# yum reinstall php-devel -y

Após a certeza do pacote ter sido instalado, adicione a seguinte linha no arquivo /etc/php.ini

# vim /etc/php.ini 

E faça do seguinte jeito ( vá até o final do arquivo ) : 

extension=uploadprogress.so

; Local Variables:
; tab-width: 4
; End:

 E logo após isto é só reiniciar o nosso amigo Apache : 

# service httpd restart 

E ir no seu Drupal ou qualquer outro sistema que tenha pedido a instalação desta biblioteca e ver se está tudo ok :-) 

Dúvidas é só perguntar nos comentários. 

Ativando o suPHP em um servidor CentOS 6

Tutoriais básicos são uma coisa que eu sempre gostei de fazer aqui no blog. 

E servidores HTTP são uma necessidade da maioria das pessoas por aí. Principalmente com o advento de máquinas virtuais baratas como as da Digital Ocean que acabaram dando a possibilidade de ter máquinas dedicadas a pequenos blogs e até, grandes sites com custos bem mais tranquilos ( sim, porque só fora do Brasil. Aqui você teria que tirar pelo menos um orgão do corpo por mês para pagar uma máquina mísera ).

SUPHP

Este aqui é um tutorial muito fácil. Simplesmente algo para lhe mostrar como ativar o suPHP em um servidor CentOS 6 . Como é o padrão em máquinas da Digital Ocean é só utilizar para colocar o suPHP em operação lá ( esta semana ou semana que vem solto como habilitar o mpm-itk que é um sistema tão bom quanto ).

Bom, e como ativar o suPHP  ?

Primeiro instale o repositório do rpmforge: 

# rpm -Uvh http://pkgs.repoforge.org/rpmforge-release/rpmforge-release-0.5.3-1.el6.rf.x86_64.rpm

Feito isto é só instalar :

# yum install mod_suphp -y

Depois vamos ao arquivo de configuração do /etc/suphp.conf :

Procure pela ocorrência :

x-httpd-php=php:/usr/bin/php

E modifique para :

x-httpd-php="php:/usr/bin/php-cgi"

E a linha :

x-suphp-cgi=execute:!self

Para :

x-suphp-cgi="execute:!self"

Com isto feito seu sistema já está em operação. Uma coisa que você precisa ter certeza é se tem o php-cli instalado. Por via das dúvidas instale com o comando :

# yum install php-cli -y

Após este comando é só começar a criar seus VirtualHosts : 

<VirtualHost *:80>

    ServerAdmin root@dominio.com.br

    ServerName domain.com.br

    ServerAlias www.dominio.com.br

 

    suPHP_Engine on

    suPHP_UserGroup user group

    AddHandler x-httpd-php .php .php3 .php4 .php5

    suPHP_AddHandler x-httpd-php

 

    DocumentRoot /home/user/public_html/

</VirtualHost>

Se tiver algum forbidden em algum dos diretórios utilize o comando : 

# chmod 701 /home/user

 

E pronto, é só reiniciar o Apache e fique feliz : 

# service httpd restart

 

E acompanhe os logs caso haja algum problema. 

Erro na atualização do Arch Linux na Digital Ocean

Desde que descobri a Digital Ocean eu fiquei meio que viciado em criar droplets lá. 
A facilidade de criá-los e destrui-los praticamente sob demanda é uma mão na roda.
Mas, sempre temos algumas máquinas que não são laboratórios que podem ser destruidos e sempre ficam on line.
Uma destas minhas máquinas é um Arch Linux.

Gosto muito da distribuição pelo seu formato minimalista e sua tranquilidade de administração.
Mas um problema que eu encontrei na Digital Ocean em relação ao Arch Linux é que as imagens dos Droplets estão desatualizadas.

Então, toda vez que eu ia atualizar a máquina, recebia a seguinte mensagem :

#pacman -Syu

...

error: failed to commit transaction (conflicting files) 
filesystem: /bin exists in filesystem 
filesystem: /sbin exists in filesystem 
filesystem: /usr/sbin exists in filesystem 

Errors occurred, no packages were upgraded. 

Procurando um pouco pela internet dei de cara com um post da própria equipe do Arch Linux.

Ou seja, ao receber o erro, faça o seguinte : 

O comando abaixo pega os arquivos que estão em /bin , /usr/bin e /usr/sbin e move para /usr/bin . Esta é uma lista dos arquivos que não estão ligados a nenhum repositório : 

$ pacman -Qqo /bin /sbin /usr/sbin | pacman -Qm -

Além disso, verifique os pacotes instalados a partir de repositórios não-oficiais, com o comando abaixo :

$ paclist <repo> | awk ' { print $1 } ' | pacman -Ql - | grep ' /s\?bin/\| /usr/sbin/'

Se você tem arquivos em /bin/ , /sbin ou /usr/sbin que não estejam ligados a nenhum pacote você tem que movê-los. Uma lista vai ser gerada com o comando abaixo: 

 

 

 

$ find /bin /sbin /usr/sbin -exec pacman -Qo -- {} + >/dev/null

E finalmente, faça o update :


# pacman -Syu --ignore filesystem,bash # pacman -S bash # pacman -Su

E pronto, sua droplet agora já pode ser atualizada com o comando : 

# pacman -Syu 

A fonte original é este site aqui do Arch Linux: https://www.archlinux.org/news/binaries-move-to-usrbin-requiring-update-intervention/